×

3 Sinais que podem ajudar a perceber se uma pessoa está a ter um AVC

1FRAQUEZA FACIAL:
Consegue sorrir?
Tem um olho ou a boca caídos?
2FRAQUEZA NO BRAÇO:
Consegue levantar os braços?
3PROBLEMAS DE EXPRESSÃO:
Consegue falar com clareza e entender o que lhe dizem?

Se reconhecer algum dos sinais, ligue imediatamente para o 112.
Ainda que algum destes sinais desapareçam ao fim de alguns minutos ou horas, deve dirigir-se ao hospital mais próximo o quanto antes.
É possível que a pessoa tenha sofrido um ataque isquémico transitório que merece tanta atenção médica quanto um AVC.

O Programa
“Recuperação AVC – Método Dr. João Catarino®”
surge porque:

Acidente Vascular Cerebral

O acidente vascular cerebral (AVC) é a doença vascular cerebral mais frequente. Trata-se de um evento súbito, caracterizado pela perda rápida da função neurológica, causada por uma interrupção do fornecimento de sangue ao cérebro.

Esta interrupção à irrigação sanguínea cerebral pode ser devida a um fenómeno isquémico (obstrução de uma artéria) ou a um fenómeno hemorrágico (rompimento de uma artéria).

Em Portugal, o AVC continua a ser a principal causa de morte e de incapacidade permanente. Atualmente, por hora, três portugueses sofrem um AVC, dos quais um não vai sobreviver.
Verificam-se também em pessoas cada vez mais jovens e que urge devolver a uma vida ativa.

Para os sobreviventes, resultam quase sempre, sequelas bastante incapacitantes e limitativas, obrigando a uma dependência que se pretende diminuir com este programa.

Porque os tratamentos que se conhecem em Portugal na recuperação destes doentes são, sob o ponto de vista terapêutico, claramente insuficientes para as expectativas da esmagadora maioria dos doentes e dos seus familiares.

É um Programa inovador e de elevada eficácia.

Onde os resultados obtidos devem-se a uma sinergia de terapêuticas e não a um conjunto de técnicas aplicadas isoladamente, promovendo melhores resultados. Destaca-se uma forte componente de Medicina Tradicional Chinesa, aliada a terapêuticas convencionais.

OBJETIVOS DO PROGRAMA

O Programa “Recuperação AVC – Método Dr. João Catarino®”, pretende de forma rápida e eficaz, devolver à sociedade os doentes acometidos de AVC, minimizando ou mesmo anulando a dependência e as incapacidades (parciais ou totais), resultantes das suas sequelas, traduzindo-se numa vida ativa com melhor qualidade e autonomia.

Com uma duração que pode variar de um a seis meses, e de acordo com a avaliação e o nível de evolução do doente, o Programa comporta uma escolha personalizada do tratamento a administrar, de acordo com as necessidades pessoais, culturais e socioeconómicas, refletindo os fatores ambientais que orientam a vida do próprio, em que ao longo do dia e de forma intensiva, alteram-se terapias de maior exigência física com outras mais relaxantes, mas não menos eficazes.

Parkinson

Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma disfunção neurológica causada pela quebra de produção de células que produzem a dopamina, substância química que comanda a atividade muscular a nível cerebral, sendo o mais frequente dos problemas neurodegenerativos.

A doença de Parkinson não tem cura mas existem formas terapêuticas para minimizar os sintomas e permitir uma melhoria da qualidade de vida.

Ao associarmos à medicação prescrita pela medicina alopática, a estimulação magnética transcraneana, a medicina tradicional chinesa (acupunctura e fitoterapia), a fisioterapia e a hidroterapia, entre outras terapêuticas, surgem resultados.

Esclerose

Esclerose Múltipla

Trata-se de uma doença neurológica degenerativa evolutiva crónica, em que a maioria dos casos é diagnosticada entre os 20 e os 50 anos, com o dobro da frequência no sexo feminino.

Embora não seja uma doença fatal, é muito incapacitante, afectando de modo significativo todos os aspectos da vida dos pacientes.

É uma doença que requer equilíbrio, não gosta de excessos, sob risco de desenvolver mais surtos.

Modificar a alimentação é fundamental, como também imprescindível controlar o processo inflamatório que ocorre nesta doença e que lesiona as próprias células nervosas, causando perda permanente de diversas funções.

Politrauma

Politraumatismos

Consequência da associação de múltiplos traumatismos, a maior parte das vezes resultantes de acidentes de viação, quedas, atropelamentos e violência.

O tratamento multidisciplinar intensivo que é desenhado de forma individualizada leva a um aumento de resultados em menos tempo do que era espectável.

Diminuir as incapacidades instaladas é o que nos move.

Demências

Demências

A Organização Mundial de Saúde estima que em todo o mundo existam 47.5 milhões de pessoas com demência, número que pode atingir os 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050 para os 135.5 milhões.

Dependendo da evolução e do tipo de demência, um tratamento multidisciplinar, adequado e intensivo, pode em muitas situações parar a evolução da doença ou mesmo reverter os sintomas instalados.

O acompanhamento e a estimulação permanentes que prestamos aos doentes quer em internamento, quanto em ambulatório, são parte da chave para o sucesso.

TOP